POESIA COM ELOS

O poesia com elos é um projeto fotográfico que propõe a naturalização da nudez não sexual. É um ensaio que explora os corpos de uma maneira poética e orgânica, apresentando um trabalho plasticamente encantador mas que traz uma discussão política bem importante de pano de fundo. Sobre como a sociedade atual transformou pessoas (sobretudo mulheres) em mercadoria e aprisiona almas e mentes dentro de padrões de beleza quase que irreais. O projeto levanta também a questão do porque a nudez feminina ser muito mais aceita do que a masculina. E por fim, os ensaios são coletivos para derrubar esse tabu do nu como algo envergonhado. É uma libertação, uma possibilidade de se ver despido dos preconceitos e do peso do julgamento constante. Em grupo, existe um desligamento do ego, um rompimento das inseguranças pessoais em troca de pertencer a um processo maior, uma luta coletiva na qual todas as pessoas estão de corpo e alma desconstruindo-se mutuamente e apoiando-se.

Trata-se de um projeto sobre a LIBERDADE. Liberdade do corpo, libertação da mente e um encontro com a sua vulnerabilidade e alma. Ele utiliza do corpo cru como uma ferramenta de encontro com a natureza de se ser. Explora de uma maneira delicada a individualidade de cada um e com um tom poético trabalha a experiência de se enxergar sem máscaras nem proteções. Te convido para conhecer essa poesia, mas deixe sua antiga ideia sobre o nu de lado.   

A nudez e o erotismo não são as mesmas coisas. A proposta desse projeto é justamente escancarar essa separação. Retirar o tabu e a vergonha do nu e provar que o corpo é antes de tudo nossa primeira casa no mundo, o nosso melhor lugar. É preciso se sentir bem nesse espaço, é preciso que nos acolhamos melhor. Essa série está para que acessemos toda grandeza e ao mesmo tempo toda desimportância do nosso corpo. Porque ele é o nosso bem mais precioso, mas ele não pode ser alvo de incessantes auto críticas pelo viés estético ditado por uma sociedade doente.

 

Você é perfeito, seu corpo tal como ele é,  é exatamente o que você precisa. Você é linda e jamais aceite as pedras que te jogam. Você é livre. Se aproprie do seu próprio corpo e o utilize como ferramenta de revolução. 

Estar despido é o estagio neutro do corpo, é natural a todo ser humano e transformar o nu feminino em mais uma mercadoria para as fantasias do universo masculino além de ser extremamente aprisionador, mostra mais um sintoma do mundo misógino e machista no qual estamos inseridas. Como mulher e artista, venho tentando propor uma mudança e iluminar nossos caminhos para que haja mais sororidade e possibilidade de sermos nós mesmas em segurança e sem julgamentos.